05/06/2019 Felipe Menhem

É muito difícil desenvolver o pensamento crítico?

Pensar é difícil.

Como assim “Pensar é difícil”? É difícil pra caramba e o vídeo abaixo do Veritasium explica bem a razão. Ele é baseado no conceito do livro “Rápido e devagar” do psicólogo Daniel Kahneman, que divide a mente humana em dois sistemas. Enquanto o sistema 1 toma decisões rápidas, automáticas e faz o processamento e descarte de informação, o sistema 2 é mais lento, consciente e lógico. O sistema 1 sabe qual é o resultado de “2×2”. Já o sistema 2 é o responsável pelo cálculo de contas mais complexas, como “13×22”.

É interessante entender como os dois sistemas trabalham em conjunto. Basicamente, o segundo sistema precisa da perspicácia do primeiro para ter sucesso no seu processo. E, como explicado no vídeo, as coisas podem complicar quando o Sistema 1, rápido e automático, faz o trabalho do sistema 2, o mais lento e lógico.

Existem várias literaturas e vídeos interessantes sobre o tema. Trouxemos esse ponto da forma como pensamos para fazer um gancho com o pensamento crítico, e aí vem a pergunta:

Se pensar é difícil, imagina praticar o pensamento crítico.

Exatamente. Não raro, tomamos decisões e damos respostas sem parar para pensar na própria pergunta. O exemplo do vídeo do Veritasium é ótimo. Imagine que te perguntem: “Um taco e uma bola de baseball custam juntos U$1,10. O taco custa um dólar a mais que a bola. Quanto custa a bola?”

Existem grandes chances de você responder errado: Dez centavos de dólar, sendo que a resposta correta é cinco centavos. E isso é o sistema 1 entrando em ação, respondendo de maneira automática com base nas suas experiências e informações prévias.

Em contextos mais sérios, é exatamente isso o que acontece quando não utilizamos o pensamento crítico. Respondemos de maneira automática às situações, sem levar em conta o contexto, as informações e as consequências. Em outra oportunidade, falamos sobre a importância do pensamento crítico no dia a dia pessoal e profissional, inclusive com quatro dicas:

  1. Faça perguntas básicas
  2. Não de nada como garantido
  3. Analise os dados
  4. Conheça seus padrões de pensamento

E é curioso perceber como essas dicas são parecidas com a do vídeo abaixo, que traz exemplos interessantes.

A chave para desenvolver o pensamento crítico passa por criar uma metodologia de pensamento, que te permita entender a situação, avaliar possibilidades e informações e tomar a melhor decisão. No final das contas, o objetivo é fazer que o sistema 2 do nosso cérebro seja o responsável pela decisão final. Não é fácil, porque ele é preguiçoso e precisa ser estimulado.

Isso que vai te permitir tomar decisões melhores, baseado nas informações que o sistema 1 disponibiliza. Afinal, o pensamento crítico se apoia nas informações que temos e nas experiências que tivemos para essa tomada de decisão. Mas também se apoia na reflexão, ponderação e questionamento.

É desafiador e o resultado compensa!