Quatro dicas de comunicação para educação digital nas empresas

12/06/2017
Posted in Trabalho
12/06/2017 Ricardo Ponsirenas

Quatro dicas de comunicação para educação digital nas empresas

Tem sido cada vez mais comum encontrar artigos, vídeos, posts etc que falam sobre os padrões de comunicação entre plataforma e cursos online. Se você já trabalha com educação corporativa online, certamente está familiarizado com termos como Scorm, TinCan, AICC etc.

De fato, esses padrões são importantes para que um curso, ou qualquer outro tipo de mídia que você esteja usando no seu projeto funcionem corretamente e guardem aqueles parâmetros que foram escolhidos para garantir a interatividade e, futuramente, as métricas do projeto.

No entanto, o que se percebe é que muitas vezes essa ponte entre plataforma e curso é planejada exclusivamente no nível de tecnologia. E mesmo em projetos muito bem planejados para um determinado público alvo, detalhes simples acabam não sendo executados pela equipe de planejamento instrucional, o que prejudica a preparação do aluno para o aprendizado e, em seguida, o seu envolvimento com o curso e o seu engajamento.

Estou falando de detalhes pequenos mesmo, como se preocupar em escrever uma ementa (ainda na plataforma) que será bem compreendida pelo aluno, criar tanto na plataforma quanto na entrada do curso links que ajudem o aluno a compreender o que ele deve fazer, o quanto ele deve se dedicar e o que vai mudar na vida dele depois do curso.

Aqui vão algumas dicas bem simples (mas nem sempre lembradas):

  1. Use a comunicação para confortar o aluno. Por exemplo: se você identificou na análise do público alvo que um problema para esse aluno é tempo, diga, antes de mais nada, quanto tempo ele vai precisar para passar por cada módulo.
  2. Use a comunicação para otimizar o esforço do aluno. Por exemplo: se você estratificou o conteúdo por relevância, mostre para o aluno como ele pode identificar o caminho mais curto para o objetivo dele dentro do curso.
  3. Use a comunicação para preparar o aluno para a aprendizagem. Por exemplo: escreva uma ementa de verdade, não apenas técnica para preencher os campos da plataforma. Fará diferença para o aluno entrar num curso sabendo exatamente o que se espera dele e o que ele pode esperar como resultado.
  4. Use a comunicação para entender o que está acontecendo no seu projeto. Por exemplo: crie uma avaliação de reação específica para o seu curso, com perguntas que vão trazer inputs importantes para o desenvolvimento dos projetos de educação e, mais importante, leia a avaliação. Evite avaliações de reação padronizadas.

Mesmo parecendo simples e óbvios, é muito importante não tirar esses detalhes do radar, pois a tendência de muitos projetos é evoluir rapidamente no campo da tecnologia e se afastar cada vez mais do ser humano que é o aluno. Perder essa proximidade é como entrar numa sala de aula e ninguém lhe dar um simples “bom dia” e nem sequer se apresentar. Certamente você teria mais dificuldade e menos vontade de se engajar nesse contexto.

Leave a Reply

Your email address will not be published.