SXSW: Aplicando os aprendizados

21/02/2018
Posted in SXSW 2018
21/02/2018 Felipe Menhem

SXSW: Aplicando os aprendizados

Já deu pra perceber que estamos no aquecimento para o festival, correto?

Uma das perguntas que a gente mais escuta sobre o SXSW é se realmente dá pra aprender alguma coisa ou tudo ali é baseado no “oba oba”. A resposta generalista é “sim”. Dá pra fazer as duas coisas, embora eu não ache que a segunda opção sozinha seja recomendável, dado o investimento feito para estarmos lá.  😉

(Só para explicar: dentro da regra “cada um faz o seu festival”, os aprendizados não estão necessariamente nos painéis. Se você trabalha com eventos e montagens, por exemplo, vai querer ver todas as casas montadas por patrocinadores e marcas diversas. Enfim, isso é um outro papo).

Mas sim, dá para aprender muita coisa. Melhor, é possível aplicar esses aprendizados no dia a dia, seja no viés conceitual ou prático. Um exemplo simples vem da palestra “Apenas para os seus olhos: Comunicando segredos na CIA“, que assisti em 2016.

O time de redes sociais da CIA identifica e divide o público em três categorias de profundidade. Quem faz espuma (Skimmers), quem nada (Swimmers) e quem mergulha (Divers). Para o primeiro grupo, a história tem que ser contada em poucos tweets, com fotos ou gráficos. Os nadadores querem um link para o site da CIA, onde estará toda a história. Finalmente, para os mergulhadores, as histórias precisam de uma leitura complementar: artigos, textos e afins.

Os três níveis de público da CIA

Tal e qual, essa é a forma como a gente faz curadoria e criação de conteúdo para os nossos projetos. Um cruzamento entre a necessidade do público, a complexidade dos temas a serem tratados e o grau de entendimento necessário. Não tínhamos uma classificação tão simples feito essa da CIA, mas o exemplo dela esclarece bastante o processo.

Esse pequeno caso mostra como os aprendizados acontecem no SXSW. E sempre tem mais por vir.

Leave a Reply

Your email address will not be published.