Aprendendo fora do algoritmo

06/04/2021
Posted in Aprendizagem
06/04/2021 Felipe Menhem

Aprendendo fora do algoritmo

O escritor Austin Kleon é uma das pessoas que mais gosto de acompanhar o trabalho. Assino a sua newsletter, compro os livros, me identifico com vários dos seus incômodos e várias das suas provocações.

Outro dia, ele fez um post sobre “buscar fora do algoritmo”, basicamente trazendo uma provocação em volta do conceito de “o que sai é igual ao que entra”. Se queremos ser mais originais e interessantes, precisamos consumir coisas mais originais e interessantes. Segundo Kleon, um caminho para isso é fugir dos algoritmos.

Faz muito sentido. Ontem, participei de um evento de um grande centro de saúde de São Paulo que está repensando novos caminhos para o projeto de educação corporativa. Ouvimos muito sobre a infoxicação, a intoxicação pelo excesso de informação e o que podemos fazer para “escapar” disso.

Um dos caminhos possíveis é escapar dos algoritmos. O que quero dizer com isso? Em termos práticos, além de parar de rolar pelos feeds das redes sociais, é preciso praticar o pensamento crítico e o exercício da curadoria. Ou seja escolher quais assuntos queremos – e devemos – nos aprofundar e procurar de maneira ativa os conteúdos que me interessam ou são subprodutos do que estou estudando. Faça uma busca por uma hashtag específica, crie listas no twitter sob assuntos do seu interesse, busque informações em fontes confiáveis. Isso quebra a lógica de “ver as coisas de sempre”, porque o algoritmo vai parar de recomendar as postagens e as pessoas de sempre.

Afinal, se queremos continuar aprendendo ao longo da vida e criando capacidade de gerar inovação, é preciso proatividade e enxergar além dos muros. Os cursos disponíveis na plataforma da sua organização podem ser um belo ponto de partida para adquirir conhecimento. Porém, ao finalizar, ao invés de clicar nas recomendações sugeridas pelo sistema, experimente completar o raciocínio com uma pesquisa externa ou consultando a sua rede de pessoas de confiança. Coisas incríveis podem acontecer.

Experimentem e me contem. 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published.